segunda-feira, 25 de abril de 2011

Folhas mortas



Folhas mortas
Folhas caídas
Ao chão amontoam-se
É como ferida
Me sinto assim, dolorida
Como as folhas que caem
Sem vida...
Que destino
Cruel e amargo
Como o sabor do fel
Imposto em minha boca...





Auxiliadora RS
18/04/2011 11:30

2 comentários:

Kiro Menezes disse...

Ciumes, discordias - paisagens morbidas
entremeada ao cálice dum vinho sangrado
o peito que versa sombrios desejos - palavras deixadas
num papel sobre a mesa, amassada e passada
a ferro queimado - o papel é quem fala
e o toque das letras, estilhaços da alma, rasgada!

A.S. disse...

Sinto a carícia da tua boca
Como se o beijo nunca se extinguisse
Nos teus lábios...

AL