quarta-feira, 19 de novembro de 2014



"Situações são coisas passageiras, mas as lembranças de como
você as superou serão eternas."

R. Cainan Rodrigues
17/11/2014

PS: Meu filho

terça-feira, 18 de novembro de 2014


A juventude é nuvem que passa 
A pele branda dos dias calmos que ainda lembro
O momento das risadas ecoadas no tempo
Ah, esse tempo que sempre teima
Que arde meus pensamentos 

Eu lembro!

Quem me dera ter sido inteligente
Usado quem sabe um pouco a mente
Ter sido pelo menos Gente
agindo grande mente
Gente Grande, Grande Gente

Quem me dera!

Agora não dá mais
não há mais tempo
perdeu-se sempre
como aquela nuvem 
que agorinha estava aqui
e agora... Onde está mesmo?

É assim que ele engana
Então não se engane
Que ele é rasteiro
E te deixa para trás
Somente naquele ou
Nesse pensamento

Não volta mais...


Auxiliadora RS
18/11/2014 - 22:44

quinta-feira, 13 de novembro de 2014



Calam-se os pássaros, os grilos, os sapos
Cala-se o sol que se punha no céu mais cedo
Calam-se as flores no seu nascer matinal
Calam-se as águas nas nascentes maternais
E assim, cala-se a voz poética,
Do menino que escrevia versos
E que hoje tornou-se anjo
E fez velório nossos corações.

“Adeus pode parecer eterno, é como o fim, mas no meu coração
Você sempre estará”

Auxiliadora RS
13/11/14 às 13:02


PS:  Minha homenagem ao Poeta Manoel de Barros

quarta-feira, 29 de outubro de 2014



Ahh, esse desejo de estar perto
de te apertar ao meu peito
de te sentir menino perdido
tentando ser grande...

Ahh, quando sinto o teu respirar dormindo
o cheiro da tua pele de menino
fazendo delírios em minha mente
me levando a suspiros...

Ahh, adoro esse amor safado
dos olhares enamorados
do nosso jeito único de ser
assim, simplesmente felizes...

Não me cobre amor
Não sei expressar com exatidão
o tamanho da minha paixão
só sei amar você desse jeito
sem jeito algum
de qualquer jeito
o que interessa mesmo
é amar... e amo demais!


Auxiliadora RS
29/10/2014  às 07:58


quinta-feira, 31 de julho de 2014


O vento beija meu rosto
A noite fria me consome em nostalgia
É tarde para lamentar ou buscar
Uma razão para o que segue
Agora a estrada é outra
Os caminhos perseguidos pelo destino
Me trouxeram de volta
E essa realidade me assusta
O cigarro em minha mão se consumiu
E uma saudade brilhou em meus olhos
Meu coração partiu, doeu
Um carro familiar passa na rua escura
Pessoas esperam o ônibus do outro lado
apáticas em seus olhares cansados 
E eu, sentindo esse vento frio
Que está aqui fora
Acordo... 
Sou chamada de volta a realidade
E quem me chama é só saudades
Saudades de mim...
Eu respondo: novamente estou aqui!

Auxiliadora RS
Campo Grande - 31/07/2014  14:31

quarta-feira, 9 de julho de 2014



Quem namoro tem cheiro doce
Quem namoro tem jeito oposto do frio
Quem namoro tem olhos amendoados
é homem gigante de pêlo macio

Aquele que amo
é amigo, é constante
é desejo que fluí
é o cio que me rompe

Aquele que sempre quero
me toma em largas goladas
me soma em noites geladas
me pega de jeito

Ahhh, esse homem selvagem
tem no nome a paisagem
de príncipe vadio

e é assim que me perco
num instante deleito
nesse gozo sem fim

Campo Grande
09/07/2014 15:10




terça-feira, 27 de maio de 2014


A saudade é lâmina que corta a alma
Deixando um rastro de solidão
E nessa estrada agora
Espalho minhas esperanças no chão...
Olho para mim tentando me encontrar
E lembro das sensações que se foram
Dos sorrisos, dos amores
Que me fizeram feliz
Lembro dos amigos sem importância
E daqueles que também amei
Hoje nessa agonia
Meus olhos se perdem no céu azul
Esperando um consolo,
Que não vem
E não sei se sou eu ou a saudade
A ausência ou inimizade
Só sinto que de certa forma estou ausente
Morrendo nesse chão vermelho
Onde espalho minhas lágrimas perante o dia tão lindo
Negro como essa solidão.

Auxiliadora RS

Campo Grande – 20/05/2014  09:10

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Linda Vênus


Amo as lembranças em minha mente

Dos beijos trocados, ainda quentes

Das promessas daquele amar

Amo o seu jeito de menina

Minha Vênus, deusa, rainha

Minha linda, eterna minha

Sempre minha! Minha! Minha!

Ei sempre de te amar!


Auxiliadora RS
Campo Grande 07/04/2014 - 11:33

terça-feira, 13 de maio de 2014

Poemas de amigos V


Você ainda se lembra de um dia de outono?
Correndo descalço na rua, e o riacho de chuva?
Seus olhos cobrindo o horizonte,
Sonhando travesso com um mundo
Mais belo, mais vivo e avesso?

Ainda vivo assim,
Nas lembranças de outrora
Mesmo adulta ainda flora
A criança em mim
No sorriso, no jardim

E estou só no momento
Não sei se choro
Se o tempo passou
Envelheci, passei
Quando o tempo passou,
Passei.


Marcos / Auxiliadora / Zica
Campo Grande - 30/03/2014

terça-feira, 29 de abril de 2014

Poemas de amigos IV


Quero falar da beleza
Falar das flores, das cores
Falar dos amores e das dores
Só quero falar...

Quero falar da saudade
Da vida, do bom
Da maldade
Só quero falar...

Quero viver tão feliz
E te ver mais feliz
Mas quero o direito de errar
Para poder falar,
Na real...
Sem porque calar...


Auxiliadora / Zica / Marcos
Campo Grande - 30/03/2014

domingo, 27 de abril de 2014

Poemas de amigos III


Sabe a poesia?
Conheceu poetas loucos
Tristes, solitários, insanos
Difíceis de suportar

E o poema chorou nesse dia
Queria ter ido na Iris
Conhecer essa tal poesia

Rascunhadas na penumbra das horas
Entalhadas na concretude da história
Entrelaçando vidas e amigos
Transformando-os em memórias

Quiçá poesia!!!

Auxiliadora /  Zica / Marcos

Campo Grande - 30/03/2014

terça-feira, 1 de abril de 2014

Poesias de amigos II


Sabe essas horas perdidas
Em que em precisas mordidas
Arranca em feridas
O teu coração em dor?

Sabe o soluço em clausura
Guardado, miúdo, fissura
Te pega de jeito, sem dó?

Eu tenho sentido no curso de um mar
A garganta seca ao tentar
Sufocar essa desilusão

Então, busco no silêncio da escuridão
Meu ponto de interrogação, sem resposta
Sem certeza, pranto-me uma tristeza
Entrego-me a poesia, fujo da razão!


Zica / Marcos / Auxiliadora
Campo Grande -  30/03/2014

domingo, 30 de março de 2014

Poema de amigos



     Quando eu fugi
     Foi a noite
     Fugi da sorte
     Fugi da vida
     Escapei da morte

     Caí nos braços e no açoite
     De uma estrela caída
     Duma aurora cansada
     Sem censura nem corte

     Maldita sorte
     Que nem norte
     Me deixou sentida
     Triste vida...
     Bela morte...


Zica / Marcos / Auxiliadora 
Campo Grande - 30/03/2014

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Interrogações

Onde estão os poetas que morreram se eram imortais?
Onde estão os incontidos que escreveram em voz alta?
Onde estão as mãos que num protesto já não se houve mais?
Onde estão as flores do poema que foi lembrado?
Em que música mesmo?
Era para ser eterno?
Foi a esmo!
Derrotado!
E essa interrogação que teima em lembrar
Da pergunta que não cala, que queima, entala
Onde mesmo encontram-se os poetas, seja qualquer um, seja mesmo eu?
Onde se reúnem os amigos antigos, que agora são apenas velhos conhecidos?
Onde está todo o amor reprimido da juventude, outrora calada?
Agora jogada, nem falada, nem lembrada.
E a música bem composta? trocada por formas deturpadas e mal feitas
Jogadas nas rádios FM’S sem noção
Quero um momento para lembrar
Quero dizer que fui eu, ser juventude
Quero o brilhante dia largado para ser vivido num poema sem fim
E essa porra de música que minha memória busca
E são lamentos do silêncio do poema que calou-se
Onde a loucura do poeta é a letra que jaz morta sem gramática
Incapaz de redenção
Sem sorrisos
Sem mãos
Onde estão os poetas?
???????????????????????

Auxiliadora RS

Campo Grande  02/02/2014

domingo, 19 de janeiro de 2014

Diante de mim




Estou diante de mim,
esquecida por um infinito vazio
meus olhos marejados dos detalhes
do que passou  e fora esquecido
o que ficou, virou perdão.
Joguei fora todos os restos de mim
deixei rastros mas não vou voltar
meu lugar é aqui
e está diante de mim
e brilha em diversas cores
como os arco-iris que vi
Hoje meu voar é distante
e meu cantar é mistura
de presente e solidão
mesmo assim meu passo é reto
e caminho di-reto, não há dúvidas!
hoje é apenas um dia
de milhões de dias
que eu espero
de milhões de beijos que anseio
de muitas noites de estrelas
que como droga me embreagam
e como álcool, me vicio, um devaneio...

Estou aqui! Diante de mim, nu espelho...

Campo Grande - 12/01/14  03:34

sábado, 11 de janeiro de 2014

Esses conflitos

Palavras rudes...
Palavras sem noção...
Palavras que magoam
Ferem corações
Palavras simplesmente
Palavras vãs
e tudo que vivemos num instante
é esquecido, foi jogado fora
perdeu-se na escuridão
Não há perdão...

Esses conflitos!



Auxiliadora RS
05/05/2011  14:42