quarta-feira, 6 de julho de 2011

Incontido sentimento


E não posso me conter...

Por que meu peito doi incessantemente
E lateja a alma
Confunde a mente
Com tanto sentimento

Poemas de enganos
Amores insanos
Vivido por nós três
Quem ama quem?

Insensato coração,

Que ama e quer momentos
E quem se pensava enganar
Sofreu o próprio engano
E enganado foi
... Coitado!
Pobre coração!
Que de tanto fingir
Apaixonou-se...
Sofreu bastante
Foi traído pela traição
E fez seu próprio coração
Viver o sofrimento
E lamentou em lamentos
E me fez também sofrer...

EM VERSOS o que se olha
É o que ONTEM lhe provoca
E a poeta que chora
Chora um choro calado - memórias
Que também é meu sofrimento – histórias
Ou será estória?
De um passado in-memorian
Incontido sentimento





Auxiliadora RS
08.06.2011  11:06

8 comentários:

SOL da Esteva disse...

Auxiliadora

A divisão do Amor, até se pode contornar.
O problema é dividir as Almas pelo Espírito que nele mora.


SOL da Esteva
http://acordarsonhando.blogspot.com/

leandroaleixo disse...

Complicado essas coisas!!!
Mais da para amar a todos.vlwlw

orvalho do ceu disse...

Olá, querida
A trajetória de um (a) poeta(a) é assim mesmo como descreveu... sinuosa e, ao mesmo tempo, aconchegante dentro de si...
Bjs de paz

C. disse...

Linda poesia, Auxi!
Fiquei pensando, será que toda pessoa poderia ser poeta, assim sendo? Cada qual carrega flashes de momentos, uns que doeram, outros poucos felizes, mas sempre todos com sentimentos, então, será que posso ser poeta também? rs

Beijinho querida!
* Eu ainda nao achei aquele plugin que atualiza as postagens dos blogs, por isso tenho me enrolado, mas nao te esqueco nao, acha?

Amiga, por que tu nao usa feed aqui? É tao bom, vai direto no email da pessoa, se precisar e for a fim, te dou uma mao.

Lena disse...

Auxiliadora,

"Que ama e quer momentos
E quem se pensava enganar
Sofreu o próprio engano
E enganado foi
... Coitado!
Pobre coração!
Que de tanto fingir
Apaixonou-se...
Sofreu bastante
Foi traído pela traição
E fez seu próprio coração
Viver o sofrimento
E lamentou em lamentos
E me fez também sofrer..."

Que lindo, minha flor, um retrato completo da realidade em forma de poema. Deliciosao de ler e refletir!
Depois dê um pulinho lá na página "Feito pra mim" que coloquei lá um texto seu me homenageando pelos 600 seguidores. Você é um amor de pessoa!Te adoro, menina!

Arnoldo Pimentel disse...

Um poema triste e lindo.Sempre bom ler você, beijos.

Lena disse...

Minha linda
Te indiquei pra fazer parte de um desafio entre blogueiros, onde você terá que responder uma série de perguntas sobre você. É legal a brincadeira. Quando puder, dê um pulinho lá na página “Selos & Cia” do “Amadeirado” e copie o questionário onde se encontram as minhas respostas. Não deixe de levar a Tag com você. Bjkcas com muito carinho!!!!

Kiro Menezes disse...

Essa doeu mais fundo no meu próprio coração!!!

Ah! minha menina... Tenho de terminar teu livro, a linda Dona do Rio, a mulher mais bela que minha esferográfica já viu!

Hei de fazê-lo, por ti, que mereces!

Amo-te, desesperadamente ♥