sábado, 7 de maio de 2011

Mãe


Como sinto saudades de ti, que me gerou
Sinto falta do teu caminhar pela casa
Sinto falta do teu carinho em meu rosto adormecido
Tu que sempre esteve presente em meu caminho
Nos momentos solitários que me encontrei
Hoje eu cresci, sou adulta
(Será mesmo?)
Porque nos momentos que choro
É teu rosto que me vem a mente
E explosão meu corpo sente
É dor que sinto na hora
És mentora de um sentido
Esse que aprendi contigo
Mãe, és sinônimo de amor...


Maria, mãe de todas as mães




Para minha mãe, Alzira, que me ama e suporta até hoje minha neuras.




Auxiliadora RS
03/05/2011  08:17

6 comentários:

Poesias Partidas disse...

Linda a poesia que você fez para a sua mãe. Ela vale para todas as mães que lutam, que se dedicam e nos ensinam a brilhar como parte de sua luz.

Poesias Partidas disse...

Misticamente amante da vida
Dádiva da diva que a mãe é.
Aquela que de tanto amor
Nos deixa cheio de manhas
De manhã, cedinho,
Enchendo-nos de carinho,
Na hora do café.
A mãe, de quem a beleza nos fascina
Tem o amor como uma sina,
Sina de ser mulher.
Que não tem constrangimento,
É mãe em todos os momentos,
Não tem hora nem lugar.
Ainda que sob tormentos,
Se tiver que brigar, briga,
Para dos males nos livrar,
Cumprindo, assim, seu papel sagrado
Até o fim da sua missão,
Pelo quê, em forma de singelo agrado,
Abro a você o meu coração.

Feliz Dia das Mães!!

Will disse...

Linda e perfeita homenagem.
Parabéns!
Abç

Kiro Menezes disse...

Guerreira né?! ♥

hehehe

Linda, linda homenagem, florzinha ♥

C. disse...

Linda composição, e que ficou perfeita, adoro essa tela, é de Klimt...

Seja bem vinda, vou ficando.

allmylife disse...

Verdade..mãe..não tem igual!!
Adorei sua poesia..