sexta-feira, 20 de maio de 2011

Confusa


Queria poder falar das flores
Falar das cores, dos amores
tocar as emoções existente no meu coração
Sonhar bem alto meu destino
Sorrir chorando
O que é estranho
É que hoje estou enlouquecida
E embebida de sono

Não tenho mente, racioscinio
Não consigo sentir nenhuma emoção
De amizade - não lembro dos amigos
De saudade - não sinto ninguém comigo
Solidão - meu coração está vazio
Amor – deixei em algum lugar

Sorrir? Não consigo
Não sinto calor nem frio
Sou dor-mente, e minha mente
Da dor fugiu ...
Que sensação estranha e confusa
É estar no nada, é ser nada
Num corpo sentir-se desnuda
Do mundo
e ser simplesmente viva
como alma penada...


Auxiliadora RS
16/05/2011  11:37

7 comentários:

Catia Bosso disse...

Um tanto triste, melancolico. Portanto nada seria dos poetas se esses sentimentos não os rondassem... Gostei muito.

bjs.

Catia

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Puxa, queria muito poder ajudar. O poema está perfeito, mas a dor... essa está demais. Não fique assim. Beijos

Poeta Insano disse...

Olá Garota...
Os momentos ruíns existem para que saibamos distinguir quando estamos nos bons e nem percebemos.
Mas saiba que, no final, tudo dá certo.
Apesar de triste, belo texto e sábio uso das palavras.
Um abraço!

Poema as Bruxas disse...

Muitas vezes me sinto assim fazia,... sem emoção sem nada pra sentir.... nem o suspiro que é tão ofegante,... consigo sentir,...
adorei ... sou muito assim
bjos.

A.S. disse...

Nos teus lábios de água há sede de fogo!...


Beijos meus,
AL

Desnuda disse...

Querida,

Há dias tristonhos assim. Há dias de sol e de chuva. Que o calor do sol e dos afetos estejam sempre te aquecendo.

Beijos com carinho.

C. disse...

Caiu como uma luva isso hoje!
Se me permitir gostaria de postar no meu outro cafofo, com a devida autoria, claro.

Beijo querida, bom fim de semana pra tu!