terça-feira, 24 de setembro de 2013

Pânico


Meu poetar calou-se
Estou em pânico com meus “ais”
Meu coração está sentido
Essa dor que não sai
Grito comigo 
Esperneio em meus sentimentos
Mais paro um momento
E penso: será que vale a pena?
Estou em pânico comigo mesma
Preciso refletir
Se quero ser nós
Ou mesmo desistir
De continuar tentando...

Auxiliadora RS
07/04/2011  15:05

4 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Bem, Auxiliadora. Não sei mesmo se vale a pena entrar em pânico por outras pessoas, ou coisas. Mas como você mesma dizno poema: primeiro ,decidir o que vai querer... insistir sofrendo ou desistir querendo. No fim, acho que dá na mesma. Ou seja,às vezes não nos sobra escolha. Beijos, amiga.

Patricia Galis disse...

Lindo poema e uma triste decisão que as vezes temos que tomar...parabéns!!!!

PAULO TAMBURRO. disse...

AUXILIADORA,

seu versejar fez-se angustia quando você,certamente, desejava fosse canto,um hino de felicidade,harmônico e com todas os instrumentos desta orquestra da vida, bem afinados.

Seria o ideal.

Alguns agora, desafinam!

Mas veja que na sua frente, a orquestra está viva,são apenas alguns detalhes que precisam de ajustes e o maestro que, é a sua consciência, já notou a necessidade das correções.

Se você acreditar como eu que o amor é tudo,insista,lute,parta para cima com tudo, atropela esta indesejável infelicidade momentânea.

Mas você tem que acreditar que o amor é tudo, caso contrário nem tente.

Sabe Auxiliadora,tenho ouvido por aí coisas do tipo:"eu gosto, mas o amor não é tudo", "amo aquele cara, mas temos muitos problemas e o amor não é tudo","cansei de lutar, e quer saber, o amor não é tudo".

É sim... o amor é tudo!

Pense o que seria da vida de uma borboleta que, após ser transmutada de uma lagarta e saída daquele casulo escuro, ,não acreditasse que poderia voar sobre as planícies, os campos dourados dos trigais, as copas das árvores encantadas de multicoloridas nuances de verdes!

E a borboleta dura apenas algumas semanas para ver e sentir toda a beleza da natureza .

Nós, seres humanos temos dezenas e dezenas de anos para continuar lutando, tentando,querendo chegar onde determina nossos sentimentos, a voz interior dos nossos sonhos, o grito incontido da nossa felicidade perdida.

Veja que, temos comparado ao pouco tempo de vida de uma borboleta , muito mais chances de acertar.

Muito mais tempo para errar.

E porque não?

No entanto, você deverá ter a certeza de que, tal qual uma borboleta poderá voar apesar do nascimento traumático de onde veio e acima de tudo, terá que acreditar como ela que, é preciso voar sim,voar sobre todos os problemas, acreditando que o amor é tudo!

Se você não acreditar nisso, Auxiliadora, então desista.

Continue apenas uma lagarta, no seu casulo escuro.

Um abração carioca.

PAULO TAMBURRO. disse...

AUXILIADORA,

seu versejar fez-se angustia quando você,certamente, desejava fosse canto,um hino de felicidade,harmônico e com todas os instrumentos desta orquestra da vida, bem afinados.

Seria o ideal.

Alguns agora, desafinam!

Mas veja que na sua frente, a orquestra está viva,são apenas alguns detalhes que precisam de ajustes e o maestro que, é a sua consciência, já notou a necessidade das correções.

Se você acreditar como eu que o amor é tudo,insista,lute,parta para cima com tudo, atropela esta indesejável infelicidade momentânea.

Mas você tem que acreditar que o amor é tudo, caso contrário nem tente.

Sabe Auxiliadora,tenho ouvido por aí coisas do tipo:"eu gosto, mas o amor não é tudo", "amo aquele cara, mas temos muitos problemas e o amor não é tudo","cansei de lutar, e quer saber, o amor não é tudo".

É sim... o amor é tudo!

Pense o que seria da vida de uma borboleta que, após ser transmutada de uma lagarta e saída daquele casulo escuro, ,não acreditasse que poderia voar sobre as planícies, os campos dourados dos trigais, as copas das árvores encantadas de multicoloridas nuances de verdes!

E a borboleta dura apenas algumas semanas para ver e sentir toda a beleza da natureza .

Nós, seres humanos temos dezenas e dezenas de anos para continuar lutando, tentando,querendo chegar onde determina nossos sentimentos, a voz interior dos nossos sonhos, o grito incontido da nossa felicidade perdida.

Veja que, temos comparado ao pouco tempo de vida de uma borboleta , muito mais chances de acertar.

Muito mais tempo para errar.

E porque não?

No entanto, você deverá ter a certeza de que, tal qual uma borboleta poderá voar apesar do nascimento traumático de onde veio e acima de tudo, terá que acreditar como ela que, é preciso voar sim,voar sobre todos os problemas, acreditando que o amor é tudo!

Se você não acreditar nisso, Auxiliadora, então desista.

Continue apenas uma lagarta, no seu casulo escuro.

Um abração carioca.