quarta-feira, 8 de junho de 2011

Amor único



Ai... que dor de amor é essa?
Que oprime meu peito
Me deixa assim refém
Sem jeito
Sem poder fugir?

Ai... que amor é esse?
Esse que tem nome
Que é um homem
Meu homem...
Lindo de se ver?

Ai... que amor é esse?
Que me faz sentir sensações
Me obriga a posições
de amor, de entrega?

Ai... que amor esse, que doi?
Doi minha vida
Reclamações incontidas
De viver a cada dia
Esses momentos?

Ai... esse amor tem nome
Tem sangue, tem chama
Tem o âmago cheio de sentimentos
De lembranças, de momentos
De um passado existente
De um presente que firmemente
É meu futuro...

Já confundo o teu nome
Já é fusão, minha pele
O que será mesmo?
Marcos, Auxiliadora
Mardora, Dormarc
Marcxilia, Dorcos
Quem será?

Somos únicos,
Sentimento “UM”
Que não se separa mais...

Amor fundido...


Auxiliadora RS
06.06.2011  12:00

8 comentários:

A.S. disse...

Doce e excitante!...

Beijos, querida!
AL

allmylife disse...

Linda Poesia =)

Poeta Insano disse...

Bela poesia!
É uma bela forma de se perder
no tão confuzo e intenso amor.
Seja como for, amar é sempre bom,
mesmo que doa!

Um abraço!

leandroaleixo disse...

Muito bom!! Provocante..adorei

Will disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Will disse...

É, não existe cardiologista para dor de amor. O remédio? Você já descobriu, fundir-se à pessoa amada.
abç

F. Otavio M. Silva disse...

olá, é um prazer muito grande estar conhecendo alguem como você, alguem com um estilo único para escrever, gsotei muito. Sei que ainda sou apenas uma aspirante a escritor perto de você, mas ficaria muito feliz se passasse no meu blog http://otaviomsilva.blogspot.com/ .
Forte abraço, Otávio

Kiro Menezes disse...

Xonadinha por vc ♥

^_^•