quarta-feira, 8 de junho de 2011

Amor único



Ai... que dor de amor é essa?
Que oprime meu peito
Me deixa assim refém
Sem jeito
Sem poder fugir?

Ai... que amor é esse?
Esse que tem nome
Que é um homem
Meu homem...
Lindo de se ver?

Ai... que amor é esse?
Que me faz sentir sensações
Me obriga a posições
de amor, de entrega?

Ai... que amor esse, que doi?
Doi minha vida
Reclamações incontidas
De viver a cada dia
Esses momentos?

Ai... esse amor tem nome
Tem sangue, tem chama
Tem o âmago cheio de sentimentos
De lembranças, de momentos
De um passado existente
De um presente que firmemente
É meu futuro...

Já confundo o teu nome
Já é fusão, minha pele
O que será mesmo?
Marcos, Auxiliadora
Mardora, Dormarc
Marcxilia, Dorcos
Quem será?

Somos únicos,
Sentimento “UM”
Que não se separa mais...

Amor fundido...


Auxiliadora RS
06.06.2011  12:00

8 comentários:

A.S. disse...

Doce e excitante!...

Beijos, querida!
AL

allmylife disse...

Linda Poesia =)

Poeta Insano disse...

Bela poesia!
É uma bela forma de se perder
no tão confuzo e intenso amor.
Seja como for, amar é sempre bom,
mesmo que doa!

Um abraço!

leandroaleixo disse...

Muito bom!! Provocante..adorei

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

É, não existe cardiologista para dor de amor. O remédio? Você já descobriu, fundir-se à pessoa amada.
abç

F. Otavio M. Silva disse...

olá, é um prazer muito grande estar conhecendo alguem como você, alguem com um estilo único para escrever, gsotei muito. Sei que ainda sou apenas uma aspirante a escritor perto de você, mas ficaria muito feliz se passasse no meu blog http://otaviomsilva.blogspot.com/ .
Forte abraço, Otávio

Kiro Menezes disse...

Xonadinha por vc ♥

^_^•