segunda-feira, 11 de maio de 2015

Nada



Asseguro-me da verdade
penso sempre nas diversidades
do humano pensamento
e não entendo, questiono
essa loucura humanoide
que é viver constantemente

Podia ser mas fácil
viver lunático nesse planeta
sem prestar atenção aos erros
que nós, extra-hipócritas terrenos
cometemos ao extremo

E o desassossego diário
da morte que rodeia
das notícias que estapeiam
minha face

Nada pode ser feito
nem mesmo um terno beijo
vai tirar essa dor

E "aquela" flor,
aquela que morreu,
quem sabe, fui "eu"
quem não aguentou viver...


Auxiliadora RS
10/05/2015 - 07:36

3 comentários:

Gracita disse...

A inquietude do ser trazendo à tona intensa reflexão
Um belo poema. Parabéns!
Um lindo dia para você
Beijos

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida
Os questionamentos fazem bem mas devem nos levar a um senso comum... não saberemos os culpados... mas, viveremos, enfim!!!
Lindo seu poem
Seja feliz e abençoada!!!
Bjm fraternal

Só pra você disse...

Obrigada meninas pela visita e comentários. Bjs