sexta-feira, 8 de março de 2013

Ser tua


 
Olho para o céu
Refletido amor
Que reluz a dor
Sentimento aldaz
Que Faz... em mim
Um valsar de poesias
Onde palavras em agonia
Teimam em fugir
Sair de mim
Encontrar-te amante
Na entrega constante
De nossos corpos
E nessa busca
Morrer e ser tua
Mais que antes
E sempre
O eterno momento
Do amor perjurado
A ser doado
A ser único...

Auxiliadora RS
08/08/2011  13:51

2 comentários:

Miriam Sá disse...

Lindo.
adoro quando alguém escreve claro e aberto. Raras vezes a alma quer ser assim.

NÉ FONTE disse...

Partilho da mesma opinião. Gostei muito, mesmo muito do poema. Um abraço