quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Desejado



Amar-te sempre foi algo desejado
Em algum lugar, esse amor foi largado
Se nos deixamos a deriva
A maré nos fez encontro
E nesse reencontro
Também veio na surdina
A dor de ter-te metade
A verdade e a mentira
Existente em um homem
E essa lembrança
E minha única dor
Que não me perdoa
Que me persegue
É sina minha...

Auxiliadora RS
09/09/2011  14:26

4 comentários:

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Preciosa Poesía de un Amor que está vivo y en el que hay esos Recuerdos de pros y contras.
Abraços.

ॐ Shirley ॐ disse...

"A dor de ter-te metade"...Isso dói mesmo... Auxiliadora, um grande beijo e muita luz!!!

Paulo_Sotter disse...

Bonita poesia. O amor nem sempre nos traz só felicidade, pode deixar saudade, dores, mas sempre deixa profundos ensinamentos. Um abraço

Miriam Sá disse...

belíssimo! me encantei com esse