quinta-feira, 29 de março de 2012

Meu eterno

Aí que saudade de ti meu anjo amado
Do momento em que te vejo
Do gosto de mel do teu beijo
Da loucura  que existe no teu tocar
Do sentimento de amor que me queima a pele
E basta a melodia da tua voz
Para que eu volte a sonhar
E me encontre no paraíso
Que é esse teu jeito de me amar...

Meu aterno...

Auxiliadora RS
29/03/2012 – 11:27

2 comentários:

Soniaconsult Almeida disse...

Oi Dora!!
Um amor de derreter o coração.
Por acaso já viste os dois temas do nosso blog?
Os dois próximos encontros são teus
dias 11 e 18/04.
Me avise qual vai ser a palavra chave que eu faço as rosas para o painel.
E a novidade? Gostou?
http://www.ideiascompartilhadas.com.br/
Agora temos domínio próprio, huhuhu
Bjos

Parole disse...

A saudade de quem sabe que o amor está lá, guardadinho, só se aquecendo para quando chegar, é deliciosa!A imagem condiz com a intensidade do poema... tb muito bela.

Adorei!

Beijinhos.